sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

CONCENTRAÇÃO: ESTE É O LEMA




Até parece que um dia hoje não possui mais 24 horas, tamanha é a agitação de todos e a gama de informações que estão sendo disseminadas a todo instante pelo meio cibernético. Cometemos um grande equivoco ao acharmos que a capacidade de armazenamento de dados do nosso cérebro é infinita, mas não é. Como autodefesa e para não acontecer um “but” como nos computadores, ele começa a filtrar e a dar mais importância a determinadas informações em detrimento de outras, por isto falta de memória e de concentração, não é mais algo exclusivo de pessoa na terceira idade.
Quais os tipos de informações tem tido prioridade em nosso cérebro ao ponto de não corrermos o risco de esquecê-las ou, ainda, faltar-nos a concentração devida para desenvolvê-las eficazmente. Quais os arquivos estamos guardando com segurança e colocando-os em lugar de rápido acesso em nosso processador central?
Usei esta introdução para mostrar que não basta apenas obter as informações, se não discernirmos o que terá prioridade ou não em nossa mente. É preciso que estejamos a todo tempo focados, concentrados no nosso objetivo. No mundo atual, se queremos vencer as nossas maiores batalhas, não deve haver ocasião para distrações, para entretenimento excessivo ou para superficialidades.
Certa feita um grande líder apareceu de maneira repentina e miraculosa durante a madrugada para os seus liderados que estavam em um barco em alto mar sendo assolados pelo forte vento. De imediato ficaram com medo achando que poderia ser um “fantasma”, devido ao fato de nunca terem testemunhado nada igual. Passado o susto, um deles, o mais afoito, foi logo perguntando se ele poderia sair do barco e ir ao seu encontro. O seu Mestre lhe dera o aval, então aquele corajoso homem saiu de seu barco andando sobre as águas como se fosse a solo firme. Não se sabe ao certo qual a distância por ele percorrida, porém aquele homem que parecia ser totalmente arrojado, em dado momento começa a afundar e grita pelo socorro do seu mentor, que logo lhe estende a mão, impedindo-o que se afogasse. (Mateus 14. 22-33). 
O que fez com que aquele intrépido homem ao andar por algum tempo por sobre as águas, viesse a afundar? A resposta é simples, quando ele saiu do barco, estava focado, concentrado no seu alvo, no seu objetivo, que era o de chegar próximo do seu Mestre. No momento em que ele tirou os olhos do seu objetivo, se distraindo em olhar enfaticamente para as dificuldades que estavam a sua volta, neste caso, o vento forte e o mar bravio, começou a afundar.
Existe uma multidão de corajosos e destemidos, pessoas que em dado momento ousaram sair do seu barco e começaram a caminhar em direção a Cristo, entretanto, permitiram que as distrações lhes roubassem a concentração e o seu foco e também veem o seu barco ir afundando aos poucos. Estas distrações se apresentam de variadas formas tais como: A ênfase ao dinheiro; dar ouvidos aos falsos profetas; apego exagerado a este mundo e aos seus prazeres carnais como se tudo se findasse nele; querer usar pessoas como exemplo e, pior, como alvo; as grandes dificuldades e os desafios da vida; enfatizar informações recebidas em prejuízo das principais e etc.
Portanto, queridos leitores não percamos o nosso alvo. Concluo, citando o seguinte texto extraído da Bíblia Sagrada: Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Olhando para Jesus, autor e consumador da fé...” (Hebreus 12.1-2a).

Soli Deo Glória
Juvenal Mariano de Oliveira Netto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto

Sou casado com Nilcéia e temos duas lindas filhas. Me alistei no Exército de Cristo a cerca de 24 anos atrás. Desde então meu alvo é agradá-lo em tudo o que faço. Meu maior prazer é anunciar as boas notícias do Senhor Jesus, sendo um profeta (aquele que fala em o nome do Senhor) para esta geração.