sexta-feira, 19 de maio de 2017

SERÁ QUE A CORRUPÇÃO É EXCLUSIVIDADE DOS BRASILEIROS?





Parece que este assunto não vai mais sair das grandes manchetes dos jornais brasileiros. Desde a denúncia do chamado “mensalão”, propina paga para conquistar apoio de parlamentares, há mais de quinze anos atrás, o Brasil tem sido palco de escândalos cada vez mais avassaladores de corrupção envolvendo, principalmente, políticos e grandes empreiteiras. Nestas horas todos se perguntam o que há de errado com o Brasil e os brasileiros? Por que a corrupção neste solo alcança patamares tão elevados que chegam a beirar o topo do ranking no mundo.  O que há de errado conosco?
Todos os homens indistintamente são suscetíveis ao erro, à fraude, a adulteração. Isto está no DNA humano desde o Éden quando Adão desobedeceu a Deus e o pecado entrou no mundo gerando morte e toda a sorte de males, inclusive a possibilidade de se corromper. Mas, então, porque em outros países isto não acontece com tanta frequência? Eles são melhores que nós? Possuem algum superpoder que os deixem imunes a depravação moral? Claro que não! Existem outros fatores que devem ser levados em conta ao tratamos deste assunto.
O primeiro ponto a ser analisado que contribui para que um povo não venha a ser dominado pela corrupção é o alto investimento na educação. Um sistema educacional revolucionário que seja capaz de quebrar paradigmas, desconstruir sofismas. Uma educação não fundamentada em marketing apenas ou certificados e nem em meras estatísticas, mas, objetiva e com a real intenção de aumentar a capacidade de raciocínio da grande maioria. Um sistema educacional capaz de formar pensadores e não repetidores alienados, enfim, um sistema que liberte ao invés de aprisionar. No Brasil, tudo parece contribuir para manter uma população mal educada, ignorante, sem bases ou princípios, tornando-a totalmente exposta aos mais diversos tipos de corrupção.
Outro ponto importantíssimo para manter uma sociedade vacinada contra as adulterações é ter um sistema de leis rígidas e que sejam aplicadas da mesma forma para todos. Leis que façam os homens pensarem e repensarem se valerá a pena transgredi-la pelo preço a ser pago. No Brasil, as leis até são severas, não obstante, existe uma série de brechas que no final acaba redundando em penas leves. Sem contar com a desigualdade na aplicação destas leis, pois, apenas os pobres são penalizados a rigor.
Juntando a falta de investimento na área da educação, um sistema de leis frágeis e desiguais e uma herança cultural terrível, onde os primeiros colonizadores já tinham a mera intenção de apenas explorar a riqueza do nosso solo e desfrutar em outros paraísos, chegamos nesta triste realidade de um país que não consegue sair da miséria cognitiva.
Contudo, não podemos perder a esperança, pois existem em meio a esta nação milhares e milhares de pessoas que ainda não sucumbiram diante deste sistema pernicioso. Um grupo de pessoas fiel a Deus e a sua Palavra que, se resolverem dar a sua contribuição, poderão fazer a diferença e contribuir para a reconstrução de um novo país, ainda que seja a médio ou longo prazo.
“E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.”  2 Crônicas 7:14

Que Deus tenha misericórdia da nossa nação.
Juvenal Mariano de Oliveira Netto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto

Sou casado com Nilcéia e temos duas lindas filhas. Me alistei no Exército de Cristo a cerca de 24 anos atrás. Desde então meu alvo é agradá-lo em tudo o que faço. Meu maior prazer é anunciar as boas notícias do Senhor Jesus, sendo um profeta (aquele que fala em o nome do Senhor) para esta geração.