segunda-feira, 17 de agosto de 2015

BEM AVENTURADOS OS QUE CHORAM...

Os humanos sãos os únicos que choram mesmo na fase adulta. A ciência ainda não foi capaz de desvendar os mistérios da mente em relação ao choro, muito menos se existe algum benefício terapêutico nele para o homem, o que se houve a este respeito por profissionais da área é que os estudos ainda não são conclusivos.
         Existem inúmeros os motivos que levam uma pessoa a chorar tais como: Alegria, tristeza, arrependimento, piedade, dor, sofrimento, etc., mas gostaria de comentá-lo a luz da frase dita por Jesus no seu sermão no monte (Mt 5.4): “Bem aventurados os que choram, pois serão consolados”. De acordo com esta frase podemos compreender que este choro não está se referindo a um choro de alegria, pois ao concluir esta frase afirmando que “serão consolados”, traz-nos a idéia de alguém que está chorando por estar aflito ou em sofrimento.
A palavra sofrimento tem um significado muito expressivo para os seres humanos e serve para definir um estado de dor, seja ela, física ou emocional, passageira ou prolongada, intensa ou moderada, porém o que mais nos chama a atenção é que o sofrimento incomoda a gente e é algo que ninguém deseja conviver.
Parece um paradoxo, se fosse pronunciado por qualquer outra pessoa, seria digno de contestação, mas foi o Filho de Deus quem afirmou isto. Felizes serão os que choram? Que sentido há nisto?
O sofrimento muitas vezes tem um efeito restaurador na vida dos homens, principalmente quando ignoramos o presente e através do olhar da fé nos transportamos para o futuro. A mensagem de Jesus para a humanidade sempre foi focando o futuro, o fim de todas as coisas, a morada eterna dos filhos juntamente com o seu Criador (Mc 8.36).
As pessoas que ainda não tiveram uma experiência real com Cristo vivem ou tentam viver de forma independente. Quantas são altivas, insensíveis, prepotentes, com dura cerviz?
Já o sofrimento na vida daqueles que servem a Deus, em alguns momentos, servirá para lapidá-los, transformando uma pedra bruta, sem brilho, sem forma, sem valor, em um diamante raro, prontinho para ser colocado nas melhores vitrines, neste caso, Ele já terá lugar certo na melhor vitrine existente no universo, localizada na cidade chamada Nova Jerusalém.
O sofrimento muitas vezes nos ajuda a reconhecer a nossa fraqueza, expurga o nosso orgulho e a nossa prepotência, faz-nos lembrar de que somos pó. Quando nos lembramos de tudo isto, conseguimos enxergar quem somos, miseráveis pecadores, e que só há uma solução, nos submetermos inteiramente ao senhorio de Cristo, aí, com Ele, seremos verdadeiramente felizes.
O mais importante de tudo isto é acreditarmos que na vida do servo de Deus nem mesmo o sofrimento será capaz de separá-lo do amor de Cristo (Rm 8.31-39). Ele não permitirá que sejamos vencidos pela dor (I Co 10.13), pois estará conosco até mesmo nas piores situações da vida (Sm 23.4). Em segundo lugar, o sofrimento é passageiro; o choro pode durar uma noite, ele tem tempo para começar; mas a alegria, esta vem ao amanhecer, é infinita (Sl 30. 5b), por isto vale a pena sofrer com Cristo.
Portanto, felizes serão todos aqueles que confessarem a Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas, ainda que seja através da dor e do sofrimento, pois o seu futuro será glorioso em um lugar onde não haverá mais pranto, nem dor, nem morte, nem lágrimas.


Soli Deo Glória

Juvenal Mariano de Oliveira Netto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto

Sou casado com Nilcéia e temos duas lindas filhas. Me alistei no Exército de Cristo a cerca de 25 anos atrás. Desde então meu alvo é agradá-lo em tudo o que faço. Meu maior prazer é anunciar as boas notícias do Senhor Jesus. Autor do livro "CRIANDO RAÍZES - Amadurecendo Espiritualmente".