sexta-feira, 15 de junho de 2018

INSACIÁVEIS POR DEUS




Quando acendemos uma Luz em um ambiente externo dentro de poucos segundos veremos uma multidão de pequenos insetos em volta dela como se estivessem hipnotizados. Todos querendo estar o mais próximo possível; não arredam o pé dali em hipótese alguma. Parece que querem aproveitar cada segundo como se fossem seus últimos momentos de vida. Eles são insaciáveis pela luz.
O profeta Oséias diz o seguinte: "Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor, como a alva a sua vinda é certa; ele descerá como a chuva, como a chuva serôdia que rega a terra." (Os 6.3).
Ele usa o verbo no imperativo como forma de nos transmitir a ideia de que é determinante que todos os homens busquem conhecer ao seu criador. Ele continua dizendo que não basta apenas conhecer superficialmente. Talvez muitos até o conheçam, mas apenas de ouvirem falar como Jó, que apesar de ser um homem temente a Deus e extremamente religioso, só após ter passado por momentos tenebrosos é que chegara a conclusão de que o seu conhecimento sobre Ele era ínfimo. Quem teria a audácia de dizer que o conhece plenamente ou o suficiente? Diria que dentre os que mais o conheceram, não chegaram nem mesmo a um por cento da sua essência (Ex 33. 12-23). Por isto que a busca pelo Eterno deve ser algo constante partindo de um coração insaciável; uma alma que almeja por ele assim como os pulmões do seu corpo pelo ar que respira (Sl 42.1).
O profeta revela o porquê desta busca. Para nós o que seria mais certo que o romper do dia? Ele diz que assim como temos esta certeza toda vez que nos deitamos para dormir durante a noite, assim será a sua volta a terra. Oséias fala num certo tom de urgência. Gente, vocês precisam buscar a Deus urgentemente, antes da sua volta, enquanto há tempo. Como a vida na terra onde todos tem um prazo de validade, assim é em relação à possibilidade do homem em se encontrar com Deus; a oportunidade que Ele nos concede disto acontecer diariamente tem uma data de validade que só ele mesmo conhece (Is 55.6). E, será terrível para aqueles que não o fizerem enquanto estiverem vivos, pois depois da morte virá o juízo sobre todos (Hb 9.27).
Oséias diz que ele virá como chuva serôdia. Chuva serôdia para os judeus era a chuva que caía suavemente sobre a terra algumas semanas antes da primavera; ela era responsável por regar o solo e facilitar a colheita.  Talvez este grande servo de Deus estivesse profetizando sobre o dia de Pentecostes. O dia marcante para toda a Igreja, onde o Espírito Santo fora derramado sobre ela, tornando-a intrépida, revestida de poder e em condições de cumprir a sua missão. A semente capaz de tornar possível a colheita estava sendo derramada. Assim como somente a água da chuva era capaz de tornar a terra fértil, só o Espírito Santo de Deus pode romper as barreiras do nosso coração, remover todas as impurezas e torna-lo novamente fértil e pronto para a grande colheita (Jo 16.8). O dia glorioso onde todos serão chamados para comparecerem ao grande tribunal de Cristo, uns para a salvação e, infelizmente, outros para a condenação eterna (Ap 3.6,13,22, 20.11-15, 22. 10-17). Qual será a nossa escolha? Amanhã pode ser tarde demais!

Juvenal Oliveira

segunda-feira, 4 de junho de 2018

O BRASIL QUE GOSTARIA DE VER



Este imenso país continente chama a atenção de todo o mundo pelas diversidades nele existentes desde a cultura até as suas fontes de riquezas naturais.  Um povo reconhecidamente alegre, simpático e acolhedor. Começamos a ganhar destaque pelo mundo através do nosso esporte predileto, o futebol. Jogadores como Pelé, Garrincha, Zico, Romário, Ronaldinho (fenômeno), Airton Sena, na Fórmula um e muitos outros fizeram o nosso país conhecido em todos os quatro cantos da terra. Outro destaque internacional é o nosso folclore com festas típicas como o bumba meu boi, carnaval e outras. O nosso réveillon atrai milhares de turistas não só pela quantidade de fogos, mas, principalmente, pela alegria contagiante do brasileiro e a geografia desta terra, com suas paisagens magníficas. As fontes de riquezas naturais chamam a atenção e despertam o interesse das maiores potencias mundiais. Temos a maior reserva de nióbio do mundo; a maior fonte de água potável; a maior e mais importante floresta com uma flora e fauna riquíssimas; somos o maior produtor de café; um dos maiores produtores de carne, soja e minério de ferro.
Por outro lado, a nossa fama também tem o seu lado negativo. Tivemos recentemente um dos maiores escândalos de corrupção da história mundial; temos a quarta maior população carcerária do mundo; lideramos o ranking de homicídios e latrocínios; somos um dos maiores consumidores de drogas; temos uma das maiores despesas com políticos do mundo; somos um dos povos que mais desrespeita e tenta burlar as suas leis; somos um país onde se tem um dos maiores números de feriados, talvez insinuando a realidade de um povo que não gosta muito de trabalho. Temos uma enorme desigualdade social e uma péssima distribuição de renda, apesar de toda a propaganda e discursos dos últimos governos afirmando o contrário, prova disto são as milhares de comunidades carentes espalhadas por todo o território sem a menor infraestrutura urbana, vivendo a baixo da linha da pobreza.
Com todos os defeitos, mazelas e desafios, ainda amo este solo, pois foi Deus que nos deu. Mas, se dissesse que estou satisfeito, estaria mentindo. Gostaria de ver um país diferente ou pelo menos, trabalhar muito para que as gerações futuras usufruam dias mais promissores. O Brasil que gostaria de ver seria mais ou menos assim:
Começando pelas diversas autoridades constituídas dentre tantos cargos do alto escalão existentes nos três poderes da República, que elas fossem mais competentes, honestas, altruístas e patriotas e que colocassem em primeiro lugar o povo e não os seus interesses particulares meramente egoístas e medíocres.
Que tivéssemos uma carga tributária mais suave e justa. Temos hoje uma das maiores do mundo. Se outros países conseguem, até mesmo os mais pobres, porque nós não poderíamos. Alguma coisa está errada, vocês não acham? E o pior, se tivesse o retorno adequado com serviços públicos de alta qualidade, ainda se poderia até justificar, mas, isto não acontece. Outro problema gerado com todos estes impostos é a sonegação por parte de muitas empresas e a falência de outras, aumentando os índices de desemprego.
Que os grandes empresários e comerciantes sejam menos ambiciosos. Eles se acostumaram a obter uma margem excessiva de lucro em cima dos produtos comercializados, chegando ao extremo de ganharem 100% na venda de cada item. Um verdadeiro absurdo!!!
Que todos os brasileiros tenham acesso a um tratamento de saúde digno, como uma das necessidades básicas de todo ser humano. O Sistema Único de Saúde (SUS) é precário e ineficiente e empurra parte da população para os planos de saúde privados que são muito caros e deixam muito a desejar na qualidade dos serviços prestados, prova disto é a enorme quantidade de ações na justiça movida por cidadãos insatisfeitos. Não tenho nada contra os planos privados desde que eles ofereçam um serviço de qualidade a preços justos e que estejam ao alcance de todas as classes sociais e não apenas sendo privilégio para uma minoria. Se o governo quer apoiar este grupo empresarial, então que fiscalize e exija qualidade nos serviços prestados, e, ainda, estabeleça um salário mínimo que dê condições a todos os cidadãos de pagarem por estes planos. Ou então, que disponibilizem acesso gratuito para toda a população a hospitais, clínicas, consultas e centros de tratamento de qualidades.
Que o governo invista mais de nosso PIB em educação. Se analisarmos este investimento de forma geral, o Brasil aparece bem no ranking mundial, mas, se comparado este mesmo investimento por aluno, ele cai para 35º, de acordo com estudo divulgado pela Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD). Mas, não adianta apenas injetar dinheiro, ele precisa ser bem empregado com uma boa gestão por profissionais competentes sem ideologias partidárias. A começar pelos salários dos professores que é depreciativo. Esta classe precisa ser valorizada e estimulada. O governo deve estabelecer tetos salariais mínimos em todo o território nacional; investir em cursos e intercâmbios a fim de melhorar a qualificação destes educadores. Eles devem passar por avaliações periódicas a fim de verificar os seus desempenhos. Devem ser proibidos de ensinarem ideologias, sejam elas quais forem, partidárias, religiosas, sociológicas, etc. Eles não estão em sala de aula para emitirem pensamentos pessoais e sim para transmitir o conhecimento de forma abrangente e imparcial.
Precisamos de uma revolução no sistema de ensino; não adianta aprovar um aluno sem que o mesmo alcance os índices mínimos de aprendizado para aquela série, pois, se o fizerem, prejudicarão todo um grupo no ano seguinte, obrigando o professor a diminuir o ritmo de ensino e obriga-lo a ter que nivelar a turma por baixo.
A realidade das famílias neste período pós-moderno é a de pai e mãe trabalhando fora para terem condições de suprir as necessidades do lar. Esta realidade trás a tona um terrível problema. Os filhos ficam na maior parte do tempo com avós, parentes, babás ou em creches. O resultado disto, na prática, tem sido horrível. Filhos educados ineficazmente serão péssimos cidadãos em todos os sentidos. O que pode ser feito? O governo poderia programar um sistema de estudo integral, onde os alunos passariam o dia todo nas escolas tendo variadas atividades, todas voltadas para a educação. Outra medida seria a redução da carga horária de trabalho para famílias com filhos de até sete anos de idade onde ambos trabalham fora; esta fase é considerada pelos psicólogos como fundamental para a formação do caráter dos seres humanos. Incentivos e punições severas para os pais que deixarem de levar os seus filhos para a escola durante a fase da menor idade. Em relação às instituições de ensino particular, as mesmas citadas acima sobre a saúde. Ou o governo estabelece escolas públicas no mesmo padrão de eficiência das privadas ou conceda condições salariais para que todos tenham condições de custear estas. Não tem como fugir desta realidade, o trajeto que o país precisa percorrer até alcançar o progresso desejável, terá obrigatoriamente que passar pelo investimento pesado no sistema de educação. Isto para obtermos resultados a médio e longo prazo, para as próximas gerações, pois esta já está contaminada.
Gostaria de ver uma reforma profunda no sistema prisional a fim de poder cumprir o seu papel na ressocialização desta enorme população carcerária. Presos recebendo instrução, ocupando o seu tempo produzindo algo que possa ajudar a manter as suas despesas e ao mesmo tempo aprendendo uma profissão que lhes possa servir para quando estiverem em liberdade. Acabar com as reduções de pena em casos de crimes hediondos, reincidentes, etc. Alterar as leis em relação à maioridade penal e ao mesmo tempo responsabilizar de alguma forma os pais por crimes cometidos por menores de quatorze anos; existem uma multidão de crianças largadas pelas ruas sem qualquer acompanhamento de um adulto, sendo aliciadas cada vez mais cedo pelo tráfico de drogas e pelos cafetões. Uma verdadeira reforma no Código Penal, com leis mais duras e menos brechas para coibir as ações dos escritórios de advocacia que enriquecem exercendo a função de verdadeiros “advogados do Diabo”.
Gostaria de ver um país mais igualitário onde todos tenham as mesmas oportunidades, independente de cor, opção sexual, credo religioso ou condição socioeconômica. As cotas estipuladas pelo governo só trazem mais segregação, pois insinua que as pessoas afrodescendentes são menos capazes que as demais. O brasileiro é um povo de etnia diversificada e não tem como fazermos distinção alguma entre as famílias. Existem filhos brancos com pais negros e vice versa. Esta política só aumenta o racismo, o preconceito e a intolerância.
Gostaria de ver um país com uma imprensa livre e imparcial. Hoje a grande mídia brasileira não é confiável. Ela é tendenciosa, má e astuta. Incentiva a violência, o uso de drogas, a promiscuidade e a segregação com seus programas de entretenimento. Ela vive tentando colocar a população contra os policiais. Parece que a sua ideologia é o quanto pior, melhor, como urubus em busca de carniça.  Ela só não consegue realizar um estrago ainda maior em nosso país por causa das redes sociais que nos mostram outras realidades e ampliam a nossa visão.
Gostaria de ver um país onde políticos e empresários pudessem dar as mãos e se preocupassem mais em gerar novos empregos; em atrair o capital estrangeiro; em melhorar a qualidade de seus produtos tornando-os mais competitivos no comércio internacional. Na mesma proporção, gostaria também de ver os governantes acabando com os programas “assistencialistas” que só mascaram o problema. Adotar aquela máxima antiga do não dê simplesmente o peixe, mas dê uma vara e o ensine a pescar.
Sendo assim, poderia aqui citar ainda uma infinidade de coisas que gostaria de ver neste país, mas, quero me deter por aqui, pois acredito que estas aqui citadas são básicas e, se fielmente cumpridas, serão suficientes para que todos os cidadãos estejam aptos a contribuírem para um país melhor.
             
Que Deus nos abençoe!!
                  
Juvenal Oliveira Netto

“Precisamos deixar um Brasil melhor para os nossos filhos ou deixarmos filhos melhores para o nosso Brasil?”

sábado, 26 de maio de 2018

PARTIDOS POLÍTICOS OU FACÇÕES CRIMINOSAS?



Varias facções criminosas se instalaram e tomaram o poder deste país. Provavelmente, vocês devem estar pensando que estou me referindo ao Primeiro Comando da Capital (PCC) ou ao Comando Vermelho (CV), duas das maiores organizações criminosas do tráfico de drogas no Brasil. Pior que não, estou falando de organizações ainda mais poderosas e hierarquicamente superiores, não sei se é possível utilizar esta palavra, mas, somente para que vocês entendam que estas estão em um patamar ainda mais elevado, por incrível que pareça.  
A operação Lava jato veio a descortinar uma realidade caótica que se tornou a política nas últimas décadas. Infelizmente, não começou com o Lula e o seu partido, o PT. O que ele fez foi tornar o esquema, já existente, ainda mais organizado, ousado e sofisticado.  
Uma facção criminosa é definida como um grupo de indivíduos que se reúnem e se organizam com hierarquia e disciplina com o intuito de cometer crimes e enriquecerem ilicitamente. Pois é exatamente assim que agem os partidos políticos. Depois que as investigações da Lava jato chegaram ao Senador Aécio Neves, um dos caciques do PSDB e aparente opositor e concorrente ao governo nas últimas eleições presidenciais, chegamos à conclusão de que, na verdade, nunca houve oposição de verdade. Um verdadeiro teatro, onde todos faziam um acordo para saquear o país, enquanto o povão torcia para ele vencer a então “presidenta” Dilma, do PT, na esperança de que dias melhores viriam. Um tremendo engano e pura decepção, pois o maior concorrente do então governo fazia parte do mesmo esquema de corrupção. Sua campanha era abastecida com o mesmo dinheiro de propina oriundo das grandes empreiteiras.
Os brasileiros precisam enxergar e compreender que a Lava jato foi praticamente um milagre de Deus. Os mafiosos estavam tão confiantes de que ninguém conseguiria destrona-los que em plena investigação do chamado “mensalão”, o grupo continuava operando descaradamente na ilicitude; tinha até um departamento exclusivo para propina em uma das maiores empresas brasileira, que, até então, era conceituadíssima e acima de qualquer suspeita. O esquema era muito sofisticado e difícil de ser plotado, por isto, temos que tirar o chapéu para o Juiz Sérgio Moro e sua equipe, o Ministério Público e a Polícia Federal, que conseguiram adentrar nele e trazer para os tribunais diversos criminosos com provas contundentes do seu funcionamento e estruturas delituosas.
Alguém já parou para pensar qual a necessidade de tantos partidos? Será que cada um deles tem uma linha de pensamento próprio ou uma ideologia que justifique esta divisão. Claro que não, isto faz parte do esquema. Além de dificultar a governabilidade, torna qualquer presidente refém desta máfia. Para que consiga governar precisa negociar o tempo todo com cargos, ministérios, verbas, aprovação de leis que favoreçam determinados grupos de interesse.
A Lava jato realizou um belíssimo trabalho, mas se nada for feito, tudo indica que estes esquemas fraudulentos continuarão a acontecer e a lesar a população brasileira.  Prova disto foi o que aconteceu com as dez medidas anticorrupção elaborada pelos Procuradores da República que a Câmara dos deputados alterou por completo, mudando totalmente o seu sentido e facilitando o crime do colarinho branco.
Olhando tudo isto, parece que não há solução para o problema, pois temos uma população alienada e também fácil de corromper; um congresso atual composto na sua grande maioria de parlamentares investigados por crimes supostamente cometidos; um sistema político que facilita toda esta corrupção e que é difícil de ser mudado, pois não é de interesse dos atuais caciques da política que serão atingidos em cheio; um Judiciário que, infelizmente, também dá indícios de ter sido corrompido por este sistema, isto pelas decisões recentes de alguns Ministros do STF; um Presidente da República, que fazia parte do governo anterior e da cúpula condenada na Lava jato e que tem sido alvo constantes de investigações; um sistema eleitoral duvidoso, pois já ficou comprovado que estas urnas eletrônicas não são confiáveis e que podem ser manipuladas, mudando o resultado de uma eleição inteira; um enorme volume de dinheiro oriundo do tráfico de drogas que tem abastecido as lavanderias destes partidos políticos e os tornando reféns de outro grupo que tem destruído a nossa população.
Para o Brasil sair desta crise ele precisa realizar uma reforma política decente para estancar a possibilidade de estes esquemas criminosos continuarem. Precisa realizar uma reforma no Código Penal e na própria constituição. Mas, para que isto se torne possível é necessário que os brasileiros através dos seus votos não reelejam mais nenhum político a fim de mudar por inteiro este congresso. Nenhum homem por mais honesto e capacitado que seja, conseguirá dar jeito neste país com este sistema político atual, que na verdade não é um sistema político e sim uma composição de um monte de facções criminosas sem o menor escrúpulo e que só querem sugar a riqueza da nossa nação.
Portanto, queridos compatriotas vamos ter fé que as coisas irão melhorar, mas, é preciso mais que ter fé apenas. Precisamos destronar estes caciques; desmantelarmos estas facções criminosas através do nosso voto. Exigirmos os nossos direitos ainda que precisemos sair às ruas em massa de forma pacífica e ordeira, refrescando a memória dos políticos de um trecho que está em nossa constituição que diz o seguinte: “Todo o poder emana do povo...”.

Que Deus abençoe a República Federativa do Brasil!

Juvenal Oliveira

sexta-feira, 25 de maio de 2018

A IDEOLOGIA DE DEUS



Na atualidade toda a sociedade brasileira tem debatido com muita regularidade as chamadas “ideologias”, principalmente, em relação às políticas de governo e as características que diferenciam a masculinidade da feminilidade. É muito difícil definirmos com exatidão o verdadeiro sentido desta palavra. Existem duas principais linhas de interpretação. Uma, que é chamada de neutra, a mais comum, definida como um conjunto de ideias, pensamentos ou visões de mundo de uma pessoa ou grupo, ou seja, simplesmente um conjunto de ideias que podem ser referentes a variadas áreas como a política, a religião, a filosofia, a sociologia, etc. A outra, chamada de crítica, é conceituada por uma ideia que mascara a realidade; que domina determinada classe; uma ferramenta utilizada com o intuito de manter o máximo de pessoas aprisionadas a linhas de pensamento como sendo uma verdade absoluta. Esta última é a mais perigosa, pois tende a mascarar a realidade.
A única ideologia que é totalmente confiável, eficiente e que pode trazer benefícios concretos e duradouros para uma comunidade, sem efeitos colaterais, é aquela proveniente do manual do fabricante; daquele que criou o homem e que conhece profundamente toda a sua estrutura e é capaz de esmiuçá-lo profundamente como nenhum outro (Hb 4.12). A Bíblia traz um considerado volume de ideias, pensamentos, normas e diretrizes capaz de tornar a vida mais agradável e feliz (Sl 119.35, 72, 77, 92, 152, 167; II Tm 3.14-16). Dentre milhares de recomendações, ela ensina que não se deve fazer acepção de pessoas; onde todos devem ser tratados com igualdade, independente de sexo, cor, raça, idade, condição socioeconômica, etc. (Dt 10.17; At 10.34; Rm 2.11; Ef 6.9; Tg 2.9).
Ela ensina que a família é constituída exclusivamente por um homem e uma mulher, formando um casal, com a missão de gerar filhos e dar prosseguimento a vida na terra e que deve ser valorizada e tratada como uma peça-chave para o povo (Mc 10.6-8; Gn 1.27-28, 2.24). Ensina que devemos amar o nosso próximo como a nós mesmos (Mt 19.19, 22.37-39). Imaginemos uma sociedade inteira agindo assim, independente de qualquer sistema de governo (Sl 33.12). Segundo ela, devemos sempre respeitar os mais velhos, os pais, e todas as autoridades constituídas (Ef 6.2; Tt 3.1). Com ela o homem é capaz de se tornar livre; livre de todos os seus fantasmas, angústias, dores e medos; livres do pecado e da condenação eterna; livres para sempre e não apenas por um determinado período (Mt 11.28-30; Lc 4.18; Jo 8. 32-36; Rm 6.22-23, 8.2,21; Ap 1.5). Só ela pode verdadeiramente ensinar o caminho para a felicidade e para a tão sonhada paz de espírito, algo que é perseguido por quase todos e muitas vezes sem sucesso (Jo 14.27). Ela é tão profunda que mostra a realidade de um reino ainda maior, melhor e abrangente que o global (Mt 16.26; Rm 6.33, 10.9). Estabelece como regras principais o amar a Deus sobre todas as coisas e o dever de busca-lo em primeiro lugar, tendo como resultado o suprimento de todas as necessidades básicas (Mt 6.33). Diferente das demais, ela menospreza o poder, ensinando que aquele que desejar ser o maior, deve se colocar na posição de servo (Lc 14.11; Fl 2.5-9).
Por isto, e muito, muito mais, podemos afirmar que a ideologia de Deus, não a de uma mera religião, é a única perfeita e que vale a pena ser seguida, pois se sobrepõe a todas as outras que já surgiram desde os primórdios. É paradoxal alguém afirmar que é cristão e se deixar enveredar por outras ideologias, principalmente, se estas vierem a confrontar os preceitos de Cristo.

Soli Deo Glória!
Juvenal Oliveira Netto

domingo, 13 de maio de 2018

MÃE: A NOSSA VERDADEIRA SUPER HEROÍNA



Que privilégio! Apesar de Deus ter criado primeiro o homem, ele reservaria para a mulher a sua missão mais nobre. Ser o seu principal instrumento para a geração de novas vidas e, assim, dar continuidade ao seu projeto ímpar de popular o planeta terra.
Mamães de todo o mundo; de todas as idades; de todas as tribos, povos e raças; as anônimas e as que alcançaram grande notoriedade; de todas as gerações, inclusive, as que ainda serão. Vocês merecem a nossa homenagem; um dia é muito pouco para expressar tamanha importância e tremendo valor que possuem; todos os dias são seus, afinal de contas o que seria um dia sequer sem a presença de vossas excelências. Aprendemos a amá-las muito cedo, desde a nossa formação ainda no ventre; quantas noites mal dormidas por nossa causa; quantas preocupações; quanto enjoo e fome; quanta ansiedade e medo; quanto peso e ainda ter que lidar com a deformidade do corpo. – Será que vou voltar ao meu corpo normal? Será que o meu marido ainda vai se interessar por mim? Capaz de suportar cada chute, ainda que involuntariamente, sempre com profunda alegria. Isto tudo, ainda na primeira fase, pois o que estar por vir talvez seja ainda mais desafiador. Nos primeiros meses de vida, tensão pura. A cada choro a dúvida do motivo. – Será que ele (a) está sentindo alguma dor, ou será fome? O que será? O que fazer? Como posso ajudar? Qual é o chá mesmo para cólicas? E, o número de fraldas trocadas? - Quanta caca! Meu Deus, como sujam e o odor, nem acredito que ingeriram apenas o meu leite.
Vamos crescendo e só mudam os tipos de preocupações. - Quem é este seu amigo?  De que família. Um interrogatório a la FBI. Só vocês são capazes de nos esperar acordadas até a nossa chegada em casa, mesmo que seja nas altas madrugadas.
Prova do carinho e do amor sincero e eterno de vocês é a forma de tratamento. Chegamos à terceira idade e seremos sempre chamados de “crianças”, pois para vocês, nós seremos sempre os seus eternos bebês.
Queremos homenagear em especial, a representante de todas as mães, Maria, mulher agraciada que fora escolhida para exercer a maior de todas as missões. Ser o instrumento de Deus para trazer a vida o Messias prometido. Com certeza não foi aleatória a sua escolha. Ela preencheu cada requisito estabelecido por nada mais nada menos que o Eterno. Por isto acredito que todas as demais mães devem tê-la como exemplo a ser seguido e, com certeza serão muito bem aventuradas e terão êxito nesta singular missão terrena. Mamães vocês são demaaaais!!!
Que Deus abençoe a cada mamãe!

Juvenal Oliveira
Filho de Maria de Lourdes e Esposo de Nilcéia Cádimo. 
Homenagem especial as minhas mamães preferidas.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

INVEJA: APODRECIMENTO DOS OSSOS



O corpo humano é a máquina mais perfeita que se tem conhecimento. Lógico que estou utilizando uma figura de linguagem, pois o homem jamais poderá ser comparado a uma obra de engenharia mecatrônica.  O corpo se subdivide em subsistemas conforme a Terminologia Anatômica Internacional (FCAT), um deles é o Sistema Esquelético. Os ossos, como parte principal deste sistema, possuem funções importantíssimas tais como: Sustentação; proteção contra impactos; atuação fundamental na locomoção; armazenamento de energia; produção de células sanguíneas, como a medula óssea vermelha, presente na parte interna de alguns ossos, que fabrica leucócitos, eritrócitos e plaquetas; armazenamento de minerais, como o fósforo e o cálcio, fundamentais para o corpo humano.
O grande sábio Salomão fala do efeito desastroso da inveja sobre o indivíduo (Pv 14.30). Ele diz que ela tem o poder de apodrecer os ossos, ou seja, uma metáfora que indica o quanto ela é lesiva. Uma pessoa invejosa está propícia a perder a sua própria sustentação, sua base de vida; está desprovida de proteção emocional (mal resolvida); caminha vagarosamente, pois o seu olhar está sempre focado na prosperidade daqueles que estão a sua volta; está sujeita a desvanecer em suas energias pela frustração em não conseguir aquilo que cobiça ou por não alcançar a tão sonhada felicidade mesmo tendo chegado no seu objetivo; não é capaz de ter os seus próprios sonhos e persegui-los até alcança-los por ideal próprio e não por uma mera competição.
Todos nós em algum momento de nossas vidas já invejamos alguma coisa, isto é fato. A grande questão é quando isto se torna corriqueiro e nos domina, muitas vezes, sem percebermos. Quem nunca desejou ter um carro, uma casa, um emprego, uma família, etc., iguais aos de algumas pessoas?  
Além dos prejuízos causados pela inveja descritos acima, a Bíblia relata ainda inúmeros outros. Tiago vai dizer que os invejosos pedem, pedem algo a Deus e nada recebem; diz ainda que onde há inveja, há perturbação e toda obra perversa (Tg 4. 2-3, 3.16). O apóstolo Paulo afirma também que os invejosos não herdarão o Reino dos céus (Gl 2.21). O salmista, assim como o próprio Salomão, nos aconselha a não termos inveja dos ímpios nem daqueles que praticam a iniquidade, pois a sua prosperidade é temporária e passageira (Pv 3.31, 23.17, 24.1,19; Sl 37.1, 73.3).
Portanto amados leitores, já expomos aqui sobre os grandes males que a inveja causa as pessoas com base nas Sagradas Escrituras. Um sentimento carnal e totalmente desagradável a Deus. Segundo o apóstolo Paulo, quem já se rendeu a Cristo, também já subjugou a sua natureza humana e terrena propícia a estes tipos de sentimentos; isto não quer dizer que ela estará totalmente imune a cometer este tipo de pecado e sim que não será mais dominada por ele ao ponto de prejudicar o seu relacionamento com Deus. A inveja apodrece o corpo, a alma e o espírito. Pense nisto!
“Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros.” (Tt 3.3)

Juvenal Oliveira

quarta-feira, 2 de maio de 2018

AVAREZA: UMA DAS CARACTERÍSTICAS MAIS MISERÁVEIS DA NATUREZA HUMANA



O efeito do pecado original é devastador na vida dos homens e a avareza, com certeza, é um desses. Um comportamento reprovável e ao mesmo tempo negado por todos, pois no fundo sabem que, no momento que admitirem, não serão vistos com bons olhos pelas pessoas que o rodeiam, ou seja, serão discriminados e apelidados com termos pejorativos tais como: “unha de fome”, “mão de vaca”, “pão duro”, “muquirana”, “mão de figa”, “mão fechada”, “ganancioso”, “mão de leitão”, “sovina”, “tacanho”, “tranca”, etc.
Existem pessoas que apesar de serem avarentas, não conseguem enxergar em si mesmas tal característica. Há uma linha tênue entre ser comedido na administração de suas finanças, ser controlado nos gastos e ser um “pão-duro”. Então, como identificar uma pessoa assim? Pode um verdadeiro cristão ser avarento?
Primeiro, são pessoas que possuem um medo excessivo de perderem aquilo que adquiriram, seja por esforço próprio ou não. Agem como se fossem levar todos os seus bens para a sepultura como se houvesse tal possibilidade. Segundo, são pessoas que relutam muito em gastar dinheiro, ainda que seja para cuidar da sua saúde, conforto e até com itens de necessidades básicas. Exploram ao máximo, tudo o que o seu próximo pode lhe oferecer. Só compram produtos que estejam em promoção. Para estas pessoas o que importa é conseguir viver bem, gastando o mínimo possível. Terceiro, são pessoas extremamente apegadas aos bens materiais. Costumam amar mais “coisas” do que pessoas; jamais serão capazes de doar algum objeto a não ser que esteja deteriorado ou que já não possua nenhum valor. Ao fazerem qualquer tipo de negócio, supervalorizam os seus bens e tentam, de todas as formas, desvalorizar os dos outros.  Quarto, geralmente são egoístas e só conseguem enxergar o seu próprio umbigo. Até se propõem a ajudar ao próximo, desde que isto não lhe gere custos.
A avareza não escolhe raça, condição social ou até mesmo religião, por mais que esta as ensine exaustivamente o inverso.  Ao contrário do que parece, ela não é exclusividade dos ricos. Parece que algumas pessoas tem uma grande dificuldade em lidar com este problema e nem mesmo os ensinos religiosos são capazes de libertá-las por inteiro. Os espíritas, por exemplo, costumam dar muita ênfase às boas obras e a ajuda ao próximo e isto pode amenizar os efeitos da avareza, eu disse amenizar. Da mesma forma, as igrejas cristãs reformadas ensinam os seus fiéis a entregarem o dízimo de tudo aquilo que recebem, além da ênfase também a ajuda ao próximo. O exercício da entrega mensal de dez por cento de tudo aquilo que se recebe tem base bíblica e ajuda muito ao desprendimento, não obstante, também não é capaz de curá-la se ela o fizer por puro medo da condenação eterna ou de o “devorador” colocar a mão naquilo que ela já tenha conquistado.
Certo é que a Bíblia condena veementemente a avareza. E a sua definição para esta atitude vai além das fornecidas pelos dicionários. A Bíblia a define também como idolatria, ou seja, um ídolo, um tipo de deus que hipnotiza milhões de pessoas e que irá leva-las para o inferno se não se arrependerem a tempo. Segundo a Bíblia não há como servir a dois senhores. Infelizmente, a realidade de uma pessoa classificada como sendo avarenta é que ela ainda está aprisionada ao fascínio deste terrível falso deus e receberá a devida recompensa por isto. A boa notícia é que eu e você somos livres para fazermos as nossas próprias escolhas. Então, decidamos hoje a servirmos ao único Deus, capaz de nos fazer vencer até mesmo a sepultura, Jesus Cristo de Nazaré, o maior de todos os tesouros. (Ex 18.21; Pv 15.27; Mt 6.24; Lc 12.15; 1Co 5.11, 6.10; Ef 5.5; Cl 3.5; Hb 13.5; 1Tm 3.3; 2Tm 3.2). 


Juvenal Oliveira

sexta-feira, 27 de abril de 2018

A RESPOSTA PARA A CURA ESTÁ NA FONTE



É preciso tratar a causa e não simplesmente os seus efeitos. Quem nunca ouviu esta frase? Normalmente usada quando alguém tenta resolver um problema de forma elementar e até leviana sem investigar primeiro quais seriam os vetores causadores daqueles males. Em se tratando das grandes adversidades que assolam a sociedade brasileira, surgem inúmeras perguntas acerca de possíveis soluções. O que fazer para diminuir os índices de violência, corrupção, imoralidade, devassidão, etc.? Quais seriam as medidas a serem adotadas para trazer cura a uma comunidade extremamente enferma? Pela gravidade do tema proposto, muitos representantes das chamadas ciências humanas tem debatido exaustivamente a fim de identificar as causas, empregar o tratamento adequado e assim encontrar as devidas elucidações a fim de se melhorar o convívio coletivo e a qualidade de vida.
Um homem chamado Eliseu também foi convocado para resolver um grave problema enfrentado pelos moradores de Jericó. As águas daquela cidade estavam amargas e isto tornava as terras estéreis. O profeta, sob a orientação do Eterno, mandou que lhe trouxessem um prato novo e que colocassem sal nele. Ele subiu até “a fonte”, pôs sal nela e disse: “Assim diz o Senhor: Sararei a estas águas; e não haverá mais nelas morte nem esterilidade.” (2Rs 2.19-22).
A família, por ser o menor núcleo social, acredita-se que nela esteja a fonte dos grandes males que enfrentamos na sociedade; famílias desestruturadas e sem Deus são um terreno fértil para formar cidadãos doentes e “complicados”. É preciso tratar isto na sua origem, assim como fez o profeta. As famílias serão restauradas a partir da busca pela “fonte” da cura. O sal foi um mero instrumento utilizado pelo servo de Deus, pois quem retirou a esterilidade e trouxe cura para as águas daquela cidade foi o Todo-Poderoso. Somente a sua presença reinando nos corações daqueles que fazem parte desta célula será capaz de mudar esta realidade.
Sendo assim amados irmãos, somente a sua presença fará com que maridos decidam amar as suas esposas como Cristo amou a sua Igreja e se entregou por ela; fará com que esposas estejam sob a mesma missão do seu marido, sendo fiéis adjutoras, parceiras e não oponentes; fará com que os pais eduquem os seus filhos e os ensinem de acordo com as Sagradas Escrituras, disciplinando-os sabiamente sem provocar-lhes a ira; fará com que filhos honrem seus pais cumprindo o único mandamento com promessa e estejam dispostos a obedece-los em tudo; fará com que haja perdão e arrependimento diante dos erros cometidos mutuamente; fará com que os casais não desistam tão facilmente do casamento diante dos inúmeros obstáculos que por certo surgirão constantemente, compreendendo que o divórcio é algo que Deus não vê com bons olhos e que só permite em situações extremas (Dt 11.19-21; Pv 22.6; Mt 19.1-9; ICo 7.10-17; Ef 6.1-4; Cl 3.18-21; IPe 3.1-7). Derrama “sal” em nossos lares Senhor, e, a partir daí, sara a nossa nação!

Juvenal Oliveira

Quem sou eu

Minha foto

Sou casado com Nilcéia e temos duas lindas filhas. Me alistei no Exército de Cristo a cerca de 25 anos atrás. Desde então meu alvo é agradá-lo em tudo o que faço. Meu maior prazer é anunciar as boas notícias do Senhor Jesus. Autor do livro "CRIANDO RAÍZES - Amadurecendo Espiritualmente".