quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

“E NÃO NOS DEIXES CAIR EM TENTAÇÃO...”





A palavra tentação, no grego “peirasmos”, tem pelo menos dois significados, primeiro induzir ao pecado e, segundo, testar o valor e o caráter dos homens. Na Bíblia ela aparece inúmeras vezes. No caso desta frase empregada por Jesus ao ensinar os seus discípulos a orar, acredita-se que podemos utilizar os dois significados, entretanto, aqui será versado somente quanto ao sentido de “indução ao pecado”.
Existem pelo menos duas maneiras de sermos induzidos ao pecado, primeiro pelos instintos internos e segundo, pelos ataques externos do inimigo de nossas almas. Tiago afirma que ao sermos tentados pelos nossos próprios instintos, não podemos atribuir esta tentação a Deus:
Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebida, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.” (Tg. 1. 13-15).
Esta história de super-homem é coisa de cinema, pois na vida real, todos os humanos sempre estarão expostos à tentação. Muitas pessoas são vencidas por ela, por isto Jesus ressalta sobre o dever de orar sempre neste sentido. Não adianta negar, todos possuem algum tipo de fraqueza; o que pode mudar são as áreas de fragilidade de cada um. Para alguns o ponto fraco é o apego exagerado ao dinheiro, que a Bíblia chama de idolatria (Cl 3.5); para outros a lascívia; ou a soberba; a dificuldade em perdoar e a facilidade de guardar rancores e mágoas, etc. Lutas e conflitos internos que todos têm que vencer minuto pós minuto. É o seu inimigo íntimo; a sua natureza terrena te empurrando para baixo; a luta da carne contra o espírito. Para vencer estas tentações habituais, todos precisam subjuga-la ao senhorio de Cristo rotineiramente. (Rm. 7.17-8.1; Mt 26.41).
Outro tipo de tentação que todas as pessoas sofrem são as investidas frequentes do Diabo, um ser muito astuto, que costuma agir nas vulnerabilidades de cada indivíduo. São os ataques externos que sobrevêm principalmente sobre aqueles que se predispõem a fazer a diferença nas mãos do seu Deus. Contra estes assédios todas as armas humanas são ineficazes, desta forma a única maneira de vencerem é se refugiar no Senhor como orienta Tiago:
Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações. Senti as vossas misérias, e lamentai e chorai; converta-se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo em tristeza. Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará. (Tg. 4.7-10)
Desta forma, se todos seguirem as orientações do Mestre, orando em todo o tempo, as tentações, sejam elas internas ou externas, sempre serão vencidas (Mt. 4.1-10; Hb. 4.15).

Solus Christus
Juvenal M. de Oliveira Netto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto

Sou casado com Nilcéia e temos duas lindas filhas. Me alistei no Exército de Cristo a cerca de 25 anos atrás. Desde então meu alvo é agradá-lo em tudo o que faço. Meu maior prazer é anunciar as boas notícias do Senhor Jesus. Autor do livro "CRIANDO RAÍZES - Amadurecendo Espiritualmente".