domingo, 26 de junho de 2016

GRAÇA E MISERICÓRDIA: PARÂMETROS DA BONDADE E DO AMOR DE DEUS



Como é bom receber a ajuda ou o favor de alguém quando estamos em apuros. Esta ajuda se tornará mais significativa ainda quando reconhecemos que não a merecemos. De igual modo quando somos dignos de uma justa punição por uma falta cometida e, para nossa total surpresa, somos perdoados. Imaginemos então passarmos pelas duas experiências simultaneamente, no mínimo, ficaremos perplexos, constrangidos. Pois é exatamente isto que Deus faz o tempo todo conosco ao derramar incansavelmente a sua misericórdia e abundante graça.
No dicionário o sentido mais apropriado para “misericórdia” é compaixão, piedade, entretanto, quando empregada para definir uma atitude ou sentimento de Deus em relação aos homens, o seu sentido se torna muito mais abrangente. No Novo Testamento “misericórdia” é a tradução da palavra grega “eleos” (Lucas 10.37, Hebreus 4.16) e “oiktirmos” (Filipenses 2.1, Colossenses 3.12) sendo que esta última significa companheirismo. Esta palavra aparece na Bíblia cerca de 158 vezes.
Deus criou o homem para viver eternamente, sem sofrimento ou dor. Era simples, ele somente precisava seguir as suas orientações; podia fazer tudo, exceto se aproximar de uma determinada árvore e comer do seu fruto. Pois foi exatamente o que o primeiro homem fez, desobedeceu a Deus, trazendo consigo as consequências de seu ato. Agora ele teria que suar muito para sobreviver e, pior, com dores, sofrimentos e, enfim, a morte eterna.
Misericórdia é termos a possibilidade de não recebermos a condenação proferida pelo ato de desobediência de Adão e que foi estendida a toda a humanidade. Portanto, Misericórdia é não recebermos a condenação eterna que todos, sem exceção, tinham que receber pelo pecado herdado desde o Éden (Romanos 5.12). É Deus nos dando uma nova chance para arrependimento a cada dia de nossas vidas.
Favor merecido, dádiva é a definição para “graça” segundo alguns dicionários, já na Bíblia o seu significado é favor imerecido e aparece 217 vezes. Ninguém é merecedor desta graça. Não há nada que possamos fazer para nos tornar dignos de recebê-la. Todos pecaram e se afastaram de Deus (Romanos 3.23). O preço pela nossa reconciliação foi devidamente pago na cruz do calvário. A única coisa que o homem precisa fazer para tomar posse deste favor imerecido é se arrepender de seus pecados e reconhecer a Jesus como Senhor e salvador de sua vida (Romanos 10.9).
Concluo, citando o seguinte texto: Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” (Hebreus 4.16).
Soli Deo Glória
Juvenal Mariano de Oliveira Netto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto

Sou casado com Nilcéia e temos duas lindas filhas. Me alistei no Exército de Cristo a cerca de 24 anos atrás. Desde então meu alvo é agradá-lo em tudo o que faço. Meu maior prazer é anunciar as boas notícias do Senhor Jesus, sendo um profeta (aquele que fala em o nome do Senhor) para esta geração.