domingo, 15 de maio de 2016

DEUS ESTÁ NO CONTROLE



Algumas histórias concernentes à raça humana sempre se repetem. Há muito tempo atrás, por volta do ano 600 A. C., um homem chamado Habacuque encontra-se inconformado diante de uma decadência moral e espiritual em que seus contemporâneos viviam em um Reino denominado por Judá. Muitos conflitos internos e externos estão a roubar o sono daquele homem de fé. Porque Deus não fazia algo para mudar aquela triste realidade? Porque os seus escarnecedores não eram devidamente punidos? Porque tanta imoralidade? Porque tanta corrupção na sociedade, abrangendo todas as áreas sociológicas? Habacuque rasga o seu coração diante de Deus:
“Até quando, Senhor, clamarei eu, e tu não me escutarás? Gritar-te-ei: Violência! e não salvarás? Por que razão me mostras a iniquidade, e me fazes ver a opressão? Pois que a destruição e a violência estão diante de mim, havendo também quem suscite a contenda e o litígio. Por esta causa a lei se afrouxa, e a justiça nunca se manifesta; porque o ímpio cerca o justo, e a justiça se manifesta distorcida.” (Habacuque 1:2-4).

Muita coisa aconteceu neste mundo desde esta época vivida por Habacuque até os dias de hoje, em especial neste solo que chamamos de Brasil, entretanto, parece que vivemos as mesmas mazelas; os mesmos conflitos; as mesmas inquietações, diante de uma realidade cruel em que nos deparamos com tantas desvirtuações. Hoje existem centenas de pessoas que não se renderam a este sistema imoral, blasfemo, que, assim como Habacuque, grita em direção aos céus: Porque Deus? Tanta frieza; tanto desdém com a vida humana; tanto egoísmo; tanta luxúria; tanto relativismo, onde nada, absolutamente nada, é absoluto, principalmente os valores.
A resposta ao clamor daquele homem de Deus vem de forma contundente:
“Mas o Senhor está no seu santo templo; cale-se diante dele toda a terra.” (Habacuque 2:20).
O aparente caos social não significa que Deus tenha perdido o controle sobre os acontecimentos, muito pelo contrário, significa que tudo está caminhando de acordo como Ele mesmo já preanunciara na sua Palavra:
“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores. Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.” (Mateus 24:6-13).
Diante da resposta de Deus, Habacuque teve duas reações. A primeira foi em se alegrar em saber que Deus não estava surdo, inerte, insensível a toda aquela realidade e mais, fazia questão de afirmar que Ele não havia perdido o controle da situação. A segunda foi angustiante, saber que o remédio seria amargo, que as consequências seriam desastrosas para aqueles incrédulos, desobedientes, apóstatas, pois pagariam um alto preço, com muita dor, sofrimento e, por conseguinte, a morte eterna, que é chamada de inferno.
Habacuque termina o seu diálogo com Deus de forma estupenda, palavras que ecoam pelos séculos e que, para os fiéis contemporâneos, é um bálsamo diante de tristes realidades em que somos obrigados a testemunhar no dia a dia:
“Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas.” (Habacuque 3:17-19).
Dessarte, meus amigos é tempo de tomarmos uma decisão. De que lado nós queremos estar. Do lado daqueles que se corromperam e não se arrependeram, recebendo como recompensa o castigo eterno, ou do lado daqueles que permanecem fiéis aos ensinamentos e mandamentos de Deus que, mesmo em meio ao martírio, ao sofrimento e a dor, sorrirão, como Habacuque, crendo que Deus está no controle de tudo e terá uma justa recompensa para todos os que se submeterem inteiramente a sua vontade.

Soli Deo Glória!!!
Juvenal Mariano de Oliveira Netto

4 comentários:

  1. Louvado seja o nome do Senhor. Que Deus continue abençoando sua vida abundantemente meu irmão.

    ResponderExcluir
  2. Louvado seja o nome do Senhor. Que Deus continue abençoando sua vida abundantemente meu irmão.

    ResponderExcluir
  3. Verdade temos que buscar ao Senhor. Pois a situacao do mundo fica mais dificil com o paddar do tempo.

    ResponderExcluir
  4. Que Deus nos conceda sabedoria e mansidão para conseguirmos superá todas as tribulações que o mundo nos apresenta. Deus abençoe sua vida !!!!

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto

Sou casado com Nilcéia e temos duas lindas filhas. Me alistei no Exército de Cristo a cerca de 24 anos atrás. Desde então meu alvo é agradá-lo em tudo o que faço. Meu maior prazer é anunciar as boas notícias do Senhor Jesus, sendo um profeta (aquele que fala em o nome do Senhor) para esta geração.