terça-feira, 3 de novembro de 2015

VOCÊ CONFIA NO SEU ESPELHO?




Não existe crise para os donos de academia, para os personal trainers, para os esteticistas e nem para os cirurgiões-plásticos, devido ao mercado crescente, formado, na sua maioria, por pessoas em busca de um corpo perfeito; pessoas acreditando que os seus maiores problemas serão solucionados ou amenizados na medida em que investirem pesado nele.
Com o valor extremado que se tem dado a aparência física, ao visual, muitos tem se equivocado na interpretação da imagem que vê diante do espelho. Este simples objeto é muito limitado para lhe outorgarmos a autoridade de nos informar quem somos, na íntegra, pois o que ele consegue transmitir para quem se depara diante dele é uma simples imagem externa, se fôssemos uma fruta, esta imagem representaria apenas a casca dela. O corpo físico apenas não representa o homem na sua magnitude; não somos apenas um corpo; existe por detrás desta figura visível uma mente com poder de raciocínio, que comanda todo este corpo e, além disto, um espírito, que a bíblia chama de fôlego de vida. Este espírito é a nossa essência e o responsável por tudo que somos (Gênesis 2.7).
O grande problema não é quando o espelho nos revela traços do envelhecimento da nossa pele, quando nos revela magreza, obesidade ou qualquer outro tipo de deformidade física; muito pior do que isto é quando a imagem refletida e interpretada pela nossa mente é conflituosa, insinuando inépcia, covardia, limitação extrema ou até mesmo uma deformidade em nossa forma de pensar e ver as coisas, esta muito pior que a primeira.
A autoimagem tem sido um divisor de águas para a vida de muita gente, pessoas com o mesmo grau de capacidade dentro de um grupo tomado como referência, mas que agem como se fossem inferiores sempre e em tudo. O que precisa estar bem claro para todos é que a visão proporcionada pelo espírito do homem, que alguns interpretam como alma, por estar ligada diretamente as emoções, pode interferir no corpo com muito mais eficácia do que o inverso. Prova disto é o que diz Salomão: “O coração alegre é bom remédio, mas o espírito abatido faz secar os ossos. O Espírito firme sustém o homem na sua doença, mas o espírito abatido quem o pode suportar.” (Provérbios 17.22; 18.14). Tenhamos certeza de uma coisa nem sempre a autoimagem é real e confiável, como prova desta tese citarei dois exemplos muito claros na Bíblia.
O primeiro trata-se de um homem chamado Gideão.  Deus mandou um Anjo para lhe informar que ele havia sido escolhido para liderar a Israel contra um dos seus inimigos da época, os Midianitas, por ser um homem valente. A sua autoimagem até então não testificava, pois ele se considerava uma pessoa frágil, sem expressão, vindo de uma família extremamente humilde, portanto, na sua visão, incapaz de cumprir a missão lhe imposta. Deus teria se equivocado na sua escolha? Quem sabe o Anjo não o confundiu com outro homem? (Jz 6).
O segundo exemplo está descrito no livro de Números, capítulo 13, onde narra à história de doze homens que são mandados para fazerem um reconhecimento da terra a ser conquistada pelos Israelitas. Os doze escolhidos retornaram com um relatório contraditório, pois dois afirmavam que era possível conquistar a terra, apesar dos grandes desafios, entretanto, os demais tiveram uma autoimagem muito negativa, afirmando o seguinte: “... e éramos aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos.” (Números 13.33b). A autoimagem deles era tão pessimista que além de se verem como gafanhotos, acreditavam que os inimigos também o viam assim.
Deus prova para Gideão que a sua autoimagem estava totalmente equivocada, prova disto é que ele liderou e venceu um grande exército, demonstrando, na prática, ser um homem valente, guerreiro, líder capaz de realizar proezas nas mãos de um Deus que também é capaz de tratar a nossa baixa autoestima.
Segundo, Deus também prova para aqueles 10 homens enfermos na alma, que se achavam meros gafanhotos de que as suas autoimagens também estavam enganadas. Venceram os gigantes que habitavam a terra e se cumpriu o que o próprio Deus lhes prometera. O homem para Deus jamais vai sequer se assemelhar a um gafanhoto, pois ele é a menina de seus olhos, primazia da criação (Zacarias 2.8).
Portanto, em primeiro lugar não supervalorize a imagem que você recebe relacionada ao seu corpo físico, pois você poderá um dia chegar à conclusão de que tudo isto não passa de vaidade (Eclesiastes 12.8). Segundo, não confie totalmente na imagem que o espelho te mostra em relação ao seu eu interior. Existe um percentual muito grande de pessoas que, assim como Gideão; os Espias; Moisés, quando foi chamado para libertar o seu povo; e muitos outros personagens Bíblicos, precisam ser tratados quanto as suas autoestimas e, talvez necessitem que o próprio Deus lhes mostre quem na verdade são: Filhos do Altíssimo; co-herdeiros com Cristo, fortes; competentes; versados no conhecimento; perseverantes; instruídos em sabedoria; resilientes e mais que vencedores, tudo isto tendo uma autoimagem através de uma mente cativa ao senhorio de Cristo, não andando por vistas, senão por fé.  

Soli Deo Glória
Juvenal Mariano de Oliveira Netto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto

Sou casado com Nilcéia e temos duas lindas filhas. Me alistei no Exército de Cristo a cerca de 24 anos atrás. Desde então meu alvo é agradá-lo em tudo o que faço. Meu maior prazer é anunciar as boas notícias do Senhor Jesus, sendo um profeta (aquele que fala em o nome do Senhor) para esta geração.