sábado, 10 de outubro de 2015

PROMOTORES DE ESCÂNDALOS


Nunca na história deste país se viu tanta corrupção. Diante de fatos tão contundentes, ainda há pessoas argumentando que a corrupção sempre existiu. Isto é uma meia verdade, pois ela sempre existiu sim, entretanto, não de forma institucionalizada como funciona atualmente. O poder judiciário, responsável pelos julgamentos de quem transgridem as leis, composto por Juízes que deveriam julgar com imparcialidade, infelizmente, não são mais confiáveis, exemplo disto é a realidade da mais alta corte deste país, o STF, que possui hoje, na sua maioria, Juízes a serviço de partidos políticos, pautando suas decisões não no cumprimento da lei, mas para atender aos anseios destes políticos insaciáveis pelo poder e pelo dinheiro.
Nos últimos dias o tema “corrupção” domina as maiores manchetes de todos os telejornais, mas quero me deter apenas ao caso de um grande político que vem sendo acusado de possuir contas na suíça com valores exorbitantes e de origens duvidosas. Este político vem sendo massacrado pela mídia pela importância do cargo que ocupa, podendo, inclusive, ser decisivo para um possível processo de impeachment, contudo, creio que há um ingrediente que o deixa ainda mais exposto. Ele faz parte da chamada “bancada evangélica”.  A sociedade sempre espera que as pessoas tidas como “religiosas”, independente de sua ramificação, deem o exemplo, pelo motivo delas afirmarem que são praticantes dos ensinamentos contidos na bíblia.
Este político ainda não foi julgado, mas há fortes indícios de sua culpabilidade, por isto vemos os jornalistas, os políticos de oposição, os anti-igrejas e até mesmo os religiosos virem com topo o ímpeto contra ele. A pergunta que faço é a seguinte, não querendo de forma alguma defendê-lo, pois também acredito que realmente ele esteja envolvido neste lamaçal: Quem tem moral para massacrá-lo, falar do seu caráter ou julgá-lo? Corrupção independe de valores, talvez existam pessoas que não se corromperam por esta alta quantia, mas será que já não o fizeram até por valores muito mais baixos? (Mateus 25.21). O que nos preocupa não é o fato do nome deste político aparecer na Operação Lava Jato e sim a ligação que fazem dele com o evangelho de Cristo Jesus, denegrindo a imagem de todos os cristãos.
É preciso esclarecer para aqueles que não pertencem a nenhuma Igreja e que também não conhecem as escrituras que existe diferença entre ser Cristão e ser um mero frequentador de “Igreja”. Jesus disse que nem todos que o chamam de Senhor, entrarão no Reino dos céus (Mateus 7.21-23; Lucas 6.46-47). Jesus conta ainda uma parábola intitulada de “O Joio e o Trigo”, onde ele explica que nem todos que estão dentro da Igreja, pertencem de fato a ela (Mateus 13. 24-30).
Muitos têm afirmado: “Eu sou religioso ou eu pertenço à igreja tal, ou ainda, eu sou evangélico”, a luz da bíblia esta afirmativa não tem valor algum, a luz da bíblia o que importa é ser uma nova criatura, aquele que roubava, não roube mais; aquele que adulterava, não adultere mais, aquele que fornicava, não fornique mais, aquele que era um pecador contumaz, não viva mais dominado pelo pecado (II Coríntios 5.17; I João 3.1-10). Jesus faz uma séria advertência para aqueles que afirmam serem seus seguidores e se envolvem em escândalos, pois além de si, poderão arrastar muitos para o abismo (Mateus 18. 6-9).
As pessoas ainda irão testemunhar muita gente que pertence a “bancada evangélica” nos diversos setores da sociedade ou pertencente à outra ramificação “cristã-religiosa” se corrompendo das mais variadas maneiras, todavia, desafio a este mesmo grupo a encontrar corruptos dentre aqueles que seguem cegamente a Cristo. Lógico que nenhum homem na terra conseguirá imitá-lo na sua totalidade ou serem perfeitos, mas aqueles que o buscam com sinceridade e inteirezas de coração se tornarão bem parecidos com Ele ao ponto de se tornarem modelos para esta comunidade afundada no pecado. O Apóstolo Paulo era homem com defeitos, como qualquer um de nós, no entanto, teve a coragem de dizer para os seus ouvintes o seguinte: "Sede meus imitadores,  como eu também sou de Cristo" ( I Coríntios 11.1).
Portanto, não sejamos promotores de escândalos, principalmente se você faz parte de uma comunidade eclesiástica, antes, nos tornemos verdadeiros discípulos de Cristo, ou seja, aquele que procura imitá-lo em sua maneira de viver. Quero concluir com uma ilustre frase do Pr. Ralph Waldo Emerson: “O que você é, fala tão alto, que não consigo ouvir o que você está dizendo”.

Soli Deo Glória

Juvenal M. de Oliveira Netto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto

Sou casado com Nilcéia e temos duas lindas filhas. Me alistei no Exército de Cristo a cerca de 24 anos atrás. Desde então meu alvo é agradá-lo em tudo o que faço. Meu maior prazer é anunciar as boas notícias do Senhor Jesus, sendo um profeta (aquele que fala em o nome do Senhor) para esta geração.