terça-feira, 16 de junho de 2015

UMA MISSÃO CADA VEZ MAIS DIFÍCIL

Já ouvi muitas pessoas afirmarem que Deus é brasileiro, não sei quem inventou isto e nem pretendo entrar no mérito desta questão. O que podemos afirmar é que diante da atual situação em que se encontra o nosso país, quem inventou tal frase, pensaria duas ou infinitas vezes antes de reafirmá-la. Partindo da possibilidade, mesmo sabendo que isto seria totalmente impossível, de que Deus fosse “brasileiro”; como explicar uma realidade tão cruel. Nos últimos 20 anos, parece que o nosso país se afundou num tremendo lamaçal.           
A corrupção e a violência tornaram-se corriqueiras, fazendo parte de manchetes dos grandes telejornais quase todos os dias; parece um câncer que lentamente vai se apoderando de territórios e conquistando cada vez mais espaços, matando tudo o que encontrar pela frente.  Hoje, no Brasil, ser honesto; bom pagador; fiel ao seu conjugue; altruísta; defensor de princípios éticos e morais é exceção, quando deveria ser via de regra. Defender a família tradicional virou coisa de religioso fundamentalista. Uma imprensa que tem um enorme poder de persuasão dá uma ajudazinha, entrando sorrateiramente em todos os lares e influenciando a toda uma sociedade através de suas telenovelas, a ver o homossexualismo como sendo a coisa mais natural do mundo.
O homossexualismo pode até ser um comportamento social muito antigo, porém jamais será algo normal para uma sociedade sã. Quando tocamos neste assunto os seus defensores já afirmam logo que isto deve ser coisa de algum religioso fanático, porém, especificamente sobre o assunto homossexualidade, não tem nada a ver com religião, apesar da Bíblia posicionar-se totalmente contrária a tal prática. Para todos os animais criados, existem machos e fêmeas, com raríssimas exceções, sendo este o principal condicionamento para a sua reprodução e manutenção da espécie. Não preciso ser um grande cientista comportamental, filósofo, ou até mesmo religioso para chegar à conclusão de que o normal para os seres humanos é terem um comportamento heterossexual. Nesta última parada gay, eles ultrapassaram todos os limites de tolerância, sinceramente, só não é mais vergonhoso para o nosso país, porque, pelo menos por enquanto, eles são a grande minoria da população.
Afirmar que Deus é brasileiro, seria restringi-lo a um deus com “d” minúsculo, Deus não é simplesmente “brasileiro”, Ele é o Criador de todas as coisas, do mundo e suas infinitas galáxias, o El SHADAI, o Todo-Poderoso. Voltando ao assunto então, por que o nosso tão amado país está vivendo momentos tão difíceis, em todos os aspectos? Teria Deus abandonado a Terra dos Tupiniquins? Qual seria a solução para sairmos deste poço?
Os desafios são enormes e as soluções não são tão fáceis assim, sendo necessário tomarmos uma série de medidas para amenizarmos e, por fim resolvermos os maiores problemas que só serão possíveis a médios e longos prazos, tudo isto utilizando como parâmetro a lógica humana.
Acredito que a origem dos nossos maiores problemas não está apenas no campo financeiro, político ou social, mas principalmente no comportamental e espiritual.
Seria necessário que se levantasse um grupo, classe, na verdade, o nome não vem ao caso. Assim como temos um pequeno grupo que manipula para o mal, citando como exemplo toda a nossa imprensa, com raríssimas exceções, deveria se levantar outro grupo para se sobrepor a este, influenciando de forma positiva a nossa sociedade.
A pergunta que não quer calar é a seguinte, quem seria este grupo? Deveria ser um grupo que fosse exemplo. Exemplo de honestidade, ética, moral, princípios e que tivesse uma ajuda de um ser sobrenatural que pudesse realizar coisas humanamente impossíveis.
Deus usou apenas um homem, chamado Elias, para desmascarar 450 homens que estavam totalmente equivocados em seus comportamentos, comportamentos estes que tinham como ponto de origem a fé num deus inexistente e suas consequências.
Uma coisa é certa, um dos principais motivos da realidade caótica em que vivemos no Brasil, é o fato das pessoas não conhecerem a Deus e de não obedecerem e aos seus mandamentos.  
No último censo realizado pelo IBGE, constatou-se que mais de 80% da população seria composta de “supostos” Cristãos, sendo cerca de quase 60% católicos e um pouco mais de 20% de evangélicos.
Independente da ramificação, pois o cristianismo no Brasil está todo fatiado em várias correntes teológicas, esta grande massa não poderia influenciar positivamente a sociedade na qual está inserida? Talvez a diferença esteja entre o professar à fé em Cristo e realmente seguir os seus passos, sendo um fiel seguidor dele e propagador da sua mensagem.
O Brasil não precisa apenas que esta grande massa pregue as boas novas do evangelho, eles estão exaustos de nossos sermões vazios e medíocres, mas que seja exemplo, pois palavras convencem, mas exemplos arrastam as multidões.
Jesus nos ensina no chamado “Sermão da Montanha” (Mt 5.13-16) que os seus discípulos, independente de suas “religiões” ou qualquer outra coisa, deveriam ser o “SAL DA TERRA” e a “LUZ DO MUNDO”, ou seja, deveriam viver de tal maneira que as suas vidas por si só, refletissem a mensagem regeneradora do seu evangelho e influenciasse o meio no qual estivessem inseridos.
Se Deus foi capaz de fazer proezas através de apenas um homem que se colocou totalmente em suas mãos, quanto mais poderia fazê-lo através desta grande multidão que afirma ser seguidora de Cristo.
Portanto apesar da missão ser muito difícil, pelo estado em que se encontra o nosso país, se a sua Igreja, que somos nós, não nos corrompermos com o mundo e tomarmos a postura de não apenas pregarmos, mas vivermos, na íntegra, os ensinamentos de Cristo, seremos SAL NESTA TERRA E LUZ NESTE MUNDO, seremos instrumentos poderosos nas mãos de Deus para mudarmos a nossa nação a partir desta geração.
Soli Deo Glória

Juvenal M. de Oliveira Netto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto

Sou casado com Nilcéia e temos duas lindas filhas. Me alistei no Exército de Cristo a cerca de 25 anos atrás. Desde então meu alvo é agradá-lo em tudo o que faço. Meu maior prazer é anunciar as boas notícias do Senhor Jesus. Autor do livro "CRIANDO RAÍZES - Amadurecendo Espiritualmente".